REUTERS/Leonardo Benassatto
REUTERS/Leonardo Benassatto

Imprensa internacional destaca votação de Bolsonaro no primeiro turno

Jornais dos EUA, Europa e América Latina lembram das posições conservadoras do candidato do PSL

Luiz Raatz, O Estado de S.Paulo

07 Outubro 2018 | 23h48

A imprensa internacional deu amplo destaque ao primeiro turno das eleições no Brasil e ressaltou a grande votação do candidato do PSL, Jair Bolsonaro, bem como suas posições de extrema direita. 

Para o New York Times, Bolsonaro ficou a "um fio de cabelo de uma vitória no primeiro turno". "O candidato de extrema direita que elogia a ditadura militar quase venceu no primeiro turno as eleições deste domingo, enquanto os brasileiros demonstraram seu desgosto com a política ao endossar suas propostas de linha dura contra o crime e a corrupção", destacou o jornal.

O Washington Post destacou as similaridades de Bolsonaro com o presidente Donald Trump. Para o Post, o alto porcentual de votos no primeiro turno pode indicar um favoritismo do candidato do PSL ainda no primeiro turno. 

Em seu site, a rede de TV CNN destacou que as eleições de 2018 são as mais polarizadas da história recente do Brasil. "O País sofre uma prolongada recessão e o aumento da violência", lembrou o canal. 

No Reino Unido, a BBC escreveu na manchete de seu portal: "Candidato de extrema direita vence o primeiro turno no Brasil". O canal público britânico lembrou que pesquisas de opinião indicavam uma disputa apertada no segundo turno. 

O Guardian, que na quinta-feira criticou Bolsonaro em editorial, destacou que a eleição teve "mais reviravoltas que uma novela" e o futuro de uma das maiores e mais diversas democracias do mundo será definido no segundo turno. 

"Ultra Bolsonaro tem grande vitória no primeiro turno", manchetou a edição espanhola do El País. Na Itália, o Corriere della Sera foi na mesma linha: "Extremista de direita Bolsonaro com vantagem no primeiro turno na eleição brasileira". 

Na América Latina, a imprensa argentina deu grande destaque para a eleição no país vizinho. O Clarín destacou a grande vantagem que Bolsonaro deve ter no segundo turno contra Haddad e o La Nación qualificou de "contundente" a vitória do capitão reformado. 

Na Colômbia, o El Tiempo de Bogotá também ressaltou que a eleição deve ser decidida no segundo turno, assim como o mexicano El Universal.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.