Imprensa internacional destaca divisão do eleitorado no 2º turno

Imprensa internacional destaca divisão do eleitorado no 2º turno

Para BBC, acirramento demonstra divisão entre classes sociais; para Al Jazeera, eleição será um referendo sobre os 12 anos do PT

Fernando Nakagawa, correspondente da Agência Estado

26 de outubro de 2014 | 09h26

LONDRES - A divisão do eleitorado brasileiro, a acirrada disputa na reta final e as denúncias de corrupção são os principais destaques da imprensa internacional que apresenta o segundo turno das eleições brasileiras ao público estrangeiro. A emissora britânica BBC destaca a divisão de classes sociais e a rede do Catar Al Jazeera diz que a eleição será como um referendo sobre os 12 anos de governo do PT.


Em reportagem, a BBC diz que desde a redemocratização o Brasil nunca viveu um período com divisão tão acentuada do eleitorado. Essa divisão, diz a emissora britânica, acontece especialmente por classe social. Ao ouvir especialistas, a reportagem diz que pobres apoiam Dilma Rousseff (PT) e ricos votam em Aécio Neves (PSDB). Diante disso, o campo de batalha dos dois candidatos é a classe média, especialmente a nova classe média.

No Reino Unido, a emissora SkyNews também destaca a divisão do eleitorado e diz que a elite se esforça para tirar o poder do PT após 12 anos de governos do partido de esquerda. Ao apresentar os dois candidatos para os telespectadores britânicos, a SkyNews diz que Dilma é "uma ex-guerrilheira marxista que lutou contra a ditadura militar e foi presa e torturada na década de 1970". Aécio é apresentado como "parte de uma família aristocrática e que tenta acabar com a reputação de playboy".

O jornal britânico Daily Telegraph publica longa reportagem sobre o segundo turno e destaca especialmente a gradual perda do favoritismo de Dilma Rousseff durante a campanha. O jornal cita que a petista era a líder isolada nas intenções de voto no início da disputa, mas a vantagem caiu gradativamente com eventos como a morte de Eduardo Campos, a entrada de Marina Silva (PSB) e as denúncias de corrupção. Para o jornal, não é possível prever o resultado das urnas.

Fora da Europa, a emissora do Catar Al Jazeera exibiu longa reportagem sobre as eleições no Brasil em que destaca a divisão do eleitorado. Para o canal de televisão, os pobres são "leais eleitores de Dilma, especialmente no Nordeste". A elite brasileira, ao contrário, apoia o tucano que promete "acabar com as políticas econômicas intervencionistas". 

As eleições são notícia até no Irã. A emissora estatal de televisão Press TV exibiu reportagem no noticiário em inglês em que destacou as recentes pesquisas do Ibope e Datafolha que mostram vantagem da candidata à reeleição e empate técnico, respectivamente. O canal iraniano também chama atenção para as mais recentes denúncias de corrupção que envolvem a Petrobras e podem "atingir negativamente" a presidente da República. 

Tudo o que sabemos sobre:
Eleiçõesimprensa internacional

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.