Alesp / Divulgação
Alesp / Divulgação

Ibope mostra empate técnico em Campinas

Dário Saadi (Republicanos) salta de 6% para 22% enquanto Rafa Zimbaldi (PL) foi de 23% para 27%; como a margem de erro é de 4 pontos porcentuais para mais ou para menos, os dois estão tecnicamente empatados

Claudio Liza Junior, Campinas

27 de outubro de 2020 | 21h33

CAMPINAS – O deputado estadual Rafa Zimbaldi (PL) e o ex-secretário de Esportes Dário Saadi (Republicanos) aparecem tecnicamente empatados na disputa pela prefeitura de Campinas, conforme a segunda pesquisa Ibope divulgada na cidade, nesta terça, 27.  Zimbaldi tem 27% das intenções de voto, ante 23% em 5 de outubro e Saadi saltou da quarta posição, com 6%, para a segunda agora, com 22%. Considerando a margem de erro de quatro pontos para mais ou para menos, há a possibilidade de empate. O candidato do Republicanos tem o apoio do prefeito Jonas Donizette (PSB), que não pode se reeleger.

O vereador Pedro Tourinho (PT) é terceiro, com 10%. O ex-prefeito Dr. Hélio (PDT) caiu do segundo para o quarto lugar, de 11% para 7%, empatado com o ex-vereador Artur Orsi (PSD), também com 7%. Delegada Teresinha (PTB) alcançou 5%. Alessandra Ribeiro (PC do B),  André von Zuben (Cidadania), Laura Leal (PSTU), Rogério Parada (PRTB) e Wilson Matos (Patriota) têm 1%. O ex-secretário do Verde Rogério Menezes (PV) e o professor Ahmed Tarique (PM) não pontuaram. O carteiro Edson Dorta (PCO) não foi citado. Brancos e nulos somam 12%.

Zimbaldi agradeceu a “nova mensagem de confiança”. Saadi afirmou que recebeu o resultado com “pés no chão”. Na mesma linha, Tourinho declarou que vê chance de estar no segundo turno, e encara o resultado com humildade. Já Hélio diz que a margem de erro do Ibope é grande.

Em relação aos votos válidos para prefeito de Campinas, sem contar brancos e nulos, Zimbaldi lidera com 32%, Saadi tem 26% e Tourinho 12%. Hélio lidera em rejeição, com 63%, seguido de Tourinho, 14%. O ex-prefeito teve candidatura impugnada em primeira instância na semana passada, a pedidos do Ministério Público e PMN, devido à rejeição de suas contas e à cassação do cargo de prefeito em 2011. Ele recorre da decisão e mantém a campanha. A pesquisa, contratada pela EPTV, emissora afiliada à Rede Globo, foi registrada sob o número SP-03910/2020 e ouviu 602 pessoas entre os dias 21 e 27. O nível de confiança é de 95%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.