Ibope aponta melhora na avaliação da política econômica do governo

Em comparação com levantamento anterior, de junho, aprovação na área de impostos subiu cinco pontos percentuais e chegou a 20%, desaprovação ficou em 73%

Ricardo Della Coletta e Ricardo Brito, O Estado de S. Paulo

12 de setembro de 2014 | 10h59

Brasília - A aprovação da população da política do governo sobre taxa de juros oscilou de 21% para 23% na pesquisa CNI/Ibope divulgada nesta sexta-feira, 12. A comparação é com o levantamento encomendado pela entidade e publicado em junho. A desaprovação, por sua vez, foi de 70% para 68%.

A aprovação da forma como o governo combate a inflação cresceu quatro pontos percentuais, no limite da margem de erro, e atingiu 25% nesta pesquisa. Já 68% dos entrevistados desaprovaram essa política, ante 71% na sondagem de junho.

Também houve melhora na percepção da população sobre a atuação no combate ao desemprego. Dos entrevistados, 41% avaliaram positivamente as medidas do governo para a área, em comparação aos 37% de junho. A desaprovação, por sua vez, diminuiu quatro pontos porcentuais e chegou a 53%.

Impostos. Na comparação com a pesquisa CNI/Ibope de junho, a aprovação do governo na área de impostos subiu cinco pontos porcentuais, de 15% para 20%. Também diminuiu o número de eleitores que se declararam insatisfeitos com as políticas para a área: eram 77% em junho e são 73% na pesquisa atual. 

A pesquisa Ibope contratada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) entrevistou 2.002 eleitores em 144 municípios de todo o País entre os dias 5 e 8 de setembro. A margem de erro máxima é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos, em um nível de confiança estimado de 95%. Ou seja, se fossem feitas 100 pesquisas idênticas a esta, 95 deveriam apresentar resultados dentro da margem de erro. 

A pesquisa foi registrada na Justiça eleitoral com o número BR-00593/2014.

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesIbopeDilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.