Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Ibope aponta empate técnico entre Doria e Skaf em São Paulo

Tucano tem 20% das intenções de voto, enquanto emedebista aparece com 18%; França (PSB) aparece com 5%

Luiz Fernando Toledo, O Estado de S.Paulo

20 Agosto 2018 | 18h50

Os candidatos ao governo do Estado de São Paulo João Doria (PSDB) e Paulo Skaf (MDB) estão empatados tecnicamente, segundo pesquisa Ibope/Estado/TV Globo divulgada nesta segunda-feira. A margem de erro da pesquisa é de três pontos porcentuais. Entre os eleitores paulistas, 20% afirmaram ter preferência por Doria, e 18% por Skaf.

Na sequência, o atual governador Márcio França (PSB) aparece com 5% das intenções de voto e Luiz Marinho, candidato do PT, com 4%. Em seguida, estão os candidatos Major Costa e Silva, do DC (3%), Professora Lisete, do PSOL (2%), e, com 1%, Marcelo Cândido (PDT), Prof. Claudio Fernando (PMN), Rodrigo Tavares (PRTB) e Toninho Ferreira (PSTU). 

Os candidatos Edson Dorta (PCO) e Rogerio Chequer (Novo) não pontuaram. Já nulos e brancos somam 29%, enquanto os que não souberam responder ou não opinam chegam a 15%.

Esta é a primeira pesquisa Ibope desde o início oficial da campanha, e também desde a definição de que haverá 12 candidatos ao governo do Estado de São Paulo. Segundo este levantamento, as intenções de voto em Doria crescem conforme aumenta a renda familiar do entrevistado: de 16% na faixa de até um salário mínimo, e chega a 26% na faixa acima de cinco salários mínimos. As citações a Skaf também crescem quanto maior for a renda familiar do eleitor (22% entre os que têm renda acima de cinco salários, ante 16% entre quem tem renda familiar de até um salário mínimo.

Márcio França também se destaca entre os eleitores na faixa de renda familiar acima de cinco salários mínimos – entre os que ele consegue 9% das intenções de voto. Se considerada a intenção de voto espontânea, quando não é apresentado o nome do candidato, Doria aparece com 5% e Skaf, 4%. Márcio França é citado por 2% dos eleitores e Luiz Marinho, 1%. O restante dos candidatos não chega a 1%.

Rejeição de Doria é a maior entre os candidatos

No quesito rejeição, Doria  aparece em primeiro lugar: 35% afirmam que não votariam nele de jeito nenhum. Em segundo está Skaf, com 23% de rejeição. Márcio França tem 11%, mas 49% dos eleitores desaprovam o seu governo. A rejeição a parte dos candidatos aumenta conforme a escolaridade.

Entre os que fizeram até a quarta série do ensino fundamental, 22% afirmaram que não votariam em Doria “de jeito nenhum”. Este número dobra (44%) entre os que têm ensino superior.  Com Skaf, o número sobe de 16% para 25% e, com Luiz Marinho, de 8% para 19%. França apenas oscila neste quesito, de 8% entre os menos escolarizados para 9% entre os que têm ensino superior. Na capital,

Doria também aparece com o maior índice de rejeição – 52%, seguido por Skaf, com 18%.

Suplicy lidera corrida ao Senado

O candidato petista Eduardo Suplicy lidera a pesquisa na disputa para o cargo de senador em São Paulo, com 28% das intenções de voto, se somadas as duas respostas – primeira e segunda vagas a serem preenchidas neste ano. Mario Covas Neto (Podemos) aparece com 17% das intenções e Major Olimpio (PSL), 15%. Tripoli (PSDB) e Cidinha (MDB) registraram 6% das menções. Os outros candidatos registraram até 4%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número SP-00450/2018. Foram entrevistados 1.204 eleitores, entre os dias 17 e 19 de agosto. /DANIEL BRAMATTI, CECÍLIA DO LAGO e ALESSANDRA MONNERAT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.