Historiador avalia que desistência 'é um golpe na candidatura'

A saída da deputada Luiza Erundina (PSB-SP) da chapa petista "é um golpe na candidatura de Fernando Haddad", analisa o historiador Lincoln Secco, autor de A História do PT. Se ela sai "cobrindo-se com o manto da indignação ética", então "a candidatura Haddad representa o quê?", questionou Secco.

O Estado de S.Paulo

20 Junho 2012 | 03h02

O historiador afirma ainda que a aliança do PT com o deputado Paulo Maluf (PP) ainda no primeiro turno da eleição paulistana não chega a surpreender, pois "o PT foi se tornando um partido da ordem, meramente parlamentar. Para ele, o partido "abandonou suas origens, marcadas pela força dos movimentos sociais". Na avaliação de Secco, a militância do PT tem hoje um espaço muito reduzido dentro do partido. / GABRIEL MANZANO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.