Haddad propõe imposto menor na periferia

O pré-candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, incluirá em seu plano de governo - cujas diretrizes serão apresentadas hoje à militância, na presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva - um projeto de redução de impostos para empresas que deixarem o centro expandido e se mudarem para áreas periféricas. O projeto quer descentralizar ofertas de emprego e reduzir deslocamentos diários de milhares de pessoas para o centro.

DAIENE CARDOSO, AGÊNCIA ESTADO, O Estado de S.Paulo

02 Junho 2012 | 03h03

Considerado "a menina dos olhos" do petista, o projeto dividiria a cidade em zonas: quanto mais distante dos pontos de concentração de tráfego estiver a empresa, menos Impostos Sobre Serviços (ISS) e Predial e Territorial Urbano (IPTU) ela pagará. A alíquota pode chegar a 2% no ISS e a zero no IPTU. "Este será nosso modelo tributário", disse Haddad, que quer se desvincular do estigma de "Martaxa" que desgastou a ex-prefeita Marta Suplicy (PT), da qual foi chefe de gabinete da Secretaria de Finanças.

Haddad pretende aplicar o IPTU progressivo, que prevê que imóveis ociosos da área central e de Zonas Especiais de Interesse Social (Zeis) paguem 15% a mais de imposto por ano. "Temos que repovoar o centro", disse. Haddad apresentará amanhã a política de alianças, a chapa de vereadores e detalhes da campanha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.