Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Haddad promete botijão de gás de cozinha a R$ 49, mas sem interferir em outros derivados

Segundo o candidato do PT à Presidência, é possível fixar o preço do botijão, que é item da cesta básica, em R$ 49, valor cerca de 35% menor que os atuais R$ 75

Renata Batista, O Estado de S.Paulo

24 de outubro de 2018 | 11h12

O candidato do PT à presidência, Fernando Haddad, prometeu hoje, ao participar de sabatina na rádio CBN, controlar o preço do gás de cozinha, mas garantiu que não interferirá nos preços dos outros derivados da Petrobras. Segundo ele, é possível fixar o preço do botijão, que é item da cesta básica, em R$ 49, valor cerca de 35% menor que os atuais R$ 75.

Para o candidato, o governo de Michel Temer já interferiu na política de preços da Petrobras ao criar o subsídio para o diesel, após a greve dos caminhoneiros. Atuar no segmento de gás, é uma medida de cunho social, já que o botijão é item da cesta básica.

"Os caminhoneiros têm poder de fogo muito grande. Pararam o país e quase derrubaram o governo Temer. A dona de casa não tem. Vou cuidar da dona de casa. Vou controlar o preço do gás. No que não é item da cesta básica, não (vou interferir)", afirmou. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.