'Haddad poupa o Bolsonaro', afirma Alckmin

Para candidato do PSDB à Presidência, 'tudo que o PT quer é ter o candidato de maior rejeição no segundo turno'

Pedro Venceslau - O Estado de S.Paulo

O ex-governador Geraldo Alckmin, candidato do PSDB à Presidência, disse neste domingo, 30, que o PT poupa o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, porque quer enfrentá-lo no segundo turno. “Tudo que o PT quer é ter o candidato de maior rejeição no segundo turno. O PT poupa o Bolsonaro. Tudo que quer é ter ele no segundo turno”, afirmou o tucano, após participar de agenda de campanha no Grajaú, na zona sul da capital paulista.

Alckmin também falou sobre os eventos contra Bolsonaro que reuniu manifestantes em várias capitais do País no sábado.

Continua após a publicidade

Geraldo Alckmin, presidenciável do PSDB nas eleições 2018 Foto: Fabio Motta/Estadão

"Os atos mostram o sentimento do povo brasileiro, que não aceita intolerância. A discriminação contra as mulheres será fragorosamente derrotada.”

Ele repetiu o mote que vem usando para pregar uma terceira via na disputa presidencial. “Sou daqueles que defendem  #elenão, contra Bolsonaro, nem o outro", em um trocadilho sobre os dois rivais. 

Tudo o que sabemos sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

'Haddad poupa o Bolsonaro', afirma Alckmin

Para candidato do PSDB à Presidência, 'tudo que o PT quer é ter o candidato de maior rejeição no segundo turno'

Pedro Venceslau - O Estado de S.Paulo

O ex-governador Geraldo Alckmin, candidato do PSDB à Presidência, disse neste domingo, 30, que o PT poupa o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, porque quer enfrentá-lo no segundo turno. “Tudo que o PT quer é ter o candidato de maior rejeição no segundo turno. O PT poupa o Bolsonaro. Tudo que quer é ter ele no segundo turno”, afirmou o tucano, após participar de agenda de campanha no Grajaú, na zona sul da capital paulista.

Alckmin também falou sobre os eventos contra Bolsonaro que reuniu manifestantes em várias capitais do País no sábado.

Continua após a publicidade

Geraldo Alckmin, presidenciável do PSDB nas eleições 2018 Foto: Fabio Motta/Estadão

"Os atos mostram o sentimento do povo brasileiro, que não aceita intolerância. A discriminação contra as mulheres será fragorosamente derrotada.”

Ele repetiu o mote que vem usando para pregar uma terceira via na disputa presidencial. “Sou daqueles que defendem  #elenão, contra Bolsonaro, nem o outro", em um trocadilho sobre os dois rivais. 

Tudo o que sabemos sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

Atualizamos nossa política de cookies

Ao utilizar nossos serviços, você aceita a política de monitoramento de cookies.