Haddad pede a Alckmin área para creche

Prefeito eleito também diz a governador querer acelerar expansão do metrô; à tarde, petista tratou da transição de governo com Kassab

BRUNO LUPION, FELIPE FRAZÃO, O Estado de S.Paulo

31 de outubro de 2012 | 02h10

O prefeito eleito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), fez ontem duas reuniões formais para dar início à preparação de seu futuro governo. Pela manhã, pediu ao governador Geraldo Alckmin (PSDB) ajuda na cessão de terrenos em posse do Estado para construção de creches. À tarde, apresentou ao atual prefeito, Gilberto Kassab (PSD), os nomes dos coordenadores da equipe de transição e prometeu dar continuidade a projetos da gestão.

No Palácio dos Bandeirantes, Haddad e Alckmin trataram de futuras parcerias para reduzir o déficit de creches e acelerar a expansão do metrô na capital. O petista solicitou ao governador que ele repasse ao município o direito de usar terrenos ociosos anexos a estações do metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), onde podem ser construídas novas creches. A proposta fazia parte do programa de governo do candidato derrotado José Serra (PSDB).

A conversa com Alckmin durou cerca de 30 minutos. Haddad disse que deve construir as creches com recursos do governo federal. A Prefeitura deve assumir somente os custos de manutenção, caso o Estado ceda os imóveis. Governador e prefeito eleito também trataram do aporte de recursos municipais para a ampliação do metrô, mas não divulgaram detalhes.

Alckmin disse haver uma "importante sinergia" entre Estado e Prefeitura e colocou sua equipe à disposição de Haddad. Questionado, não respondeu se pretende integrar a proposta do Bilhete Único Mensal, apresentada pela campanha do petista, ao metrô e à CPTM.

Anteontem, Haddad havia se reunido em Brasília com a presidente Dilma Rousseff para renegociar a dívida da Prefeitura.

Transição. Sem dar detalhes, Haddad afirmou que os projetos em curso na gestão Kassab "não serão descontinuados de maneira nenhuma", e que os serviços públicos serão prestados "numa transição sem solavancos". "Vai ser uma transição republicana", disse Haddad.

Em reunião por mais de uma hora, Kassab recebeu Haddad a sós e depois acompanhado do coordenador da equipe de passagem, vereador Antonio Donato (PT), e dos secretários municipais Nelson Hervey (Governo) e Rubens Chammas (Planejamento). O prefeito disse ter sido uma visita "protocolar, de cortesia, mas muito amiga". "Estamos muito felizes, o Haddad é uma pessoa capacitada, com boa formação moral e técnica", disse Kassab. "Tenho certeza que ele vai compor uma ótima equipe e daqui a quatro anos entregar uma cidade melhor." Kassab disse ainda querer "contribuir onde Haddad achar necessário" ao longo do mandato.

Donato negou que o apoio do PSD na Câmara Municipal ou participação no secretariado tenham sido tratados.

A equipe de Haddad terá também como coordenadores Luis Fernando Massonetto e Ursula Perez, ambos da USP. Na quinta-feira, haverá nova reunião.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.