JF Diório/AE
JF Diório/AE

Haddad está 17 pontos à frente de Serra, aponta Datafolha

Pesquisa mostra candidato petista à Prefeitura com 49% das intenções de voto contra 32% do tucano

O Estado de S.Paulo

19 de outubro de 2012 | 08h12

O candidato à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad (PT), tem 49% das intenções de voto contra 32% do candidato José Serra, de acordo pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira, 19. Em relação ao levantamento anterior, o petista oscilou dois pontos percentuais para cima e o tucano caiu cinco pontos.

 

A pesquisa, realizada entre quarta, 17, e quinta-feira, 18, tem margem de erro de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos. Os eleitores que votariam em branco ou anulariam o voto representam 10% e 9% não sabem em quem votar.

 

Se considerados apenas os votos válidos, sem brancos e nulos, Haddad fica com 60% e Serra, 40%. O resultado é parecido com o indicado pela pesquisa Ibope/TV Globo, divulgada nessa quarta, que colocou Haddad com 49% dos votos, contra 33% de Serra.

 

Ainda de acordo com a pesquisa, o índice de eleitores que não votariam no candidato tucano de jeito nenhum chegou a 52%. O resultado supera em 10 pontos o índice registrado no levantamento do começo do mês, quando a rejeição de Serra era de 42%.

 

Russomanno e Chalita. A maioria dos eleitores que votaram em Celso Russomanno (PRB) e Gabriel Chalita (PMDB) no primeiro turno agora declaram preferência por Haddad. Entre os que escolheram Russomanno, o petista venceria por 53% a 20%. No grupo de Chalita, o resultado seria 50% a 26%. O candidato derrotado pelo PMDB declarou apoio a Haddad no segundo turno. Já Russomanno ficou neutro.

 

A pesquisa entrevistou 2.098 pessoas e foi registrada no TRE-SP sob o número SP-01860/2012.

 

Kassab. O levantamento pediu para o eleitor também avaliar a gestão do prefeito Gilberto Kassab (PSD). Ao todo, 42% definiram a administração como ruim ou péssima. Em setembro, eram 48%. Apenas 19% classificaram o governo como bom ou ótimo, contra 20% há um mês. Eleitores que consideram regular saltaram de 29% para 37%.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.