Sebastiao Moreira/EFE
Sebastiao Moreira/EFE

Haddad e Amoêdo são alvo de fake news sobre suposta renúncia de candidatura

Redes sociais são inundadas com fake news envolvendo os candidatos

Gilberto Amendola, O Estado de S.Paulo

06 Outubro 2018 | 18h57

Às vésperas da eleição Presidencial, as redes sociais são inundadas com fake news sobre a desistência das candidaturas de João Amoêdo (Novo) e Fernando Haddad (PT).

No caso de Amoêdo, a fake news sobre uma suposta renúncia nasceu a partir de um vídeo postado por Roberto Motta, um dos fundadores do partido Novo, e que hoje é candidato a deputado Federal no Rio de Janeiro pelo PSC.

Motta não faz menção à desistência de Amoêdo no vídeo – e o próprio candidato é citado apenas uma única vez. Ele afirma que foi um dos criadores do partido Novo e pede aos apoiadores que votem em Jair Bolsonaro para que a eleição termine no 1ª turno. “No País do Haddad não existirá partido Novo. Aliás, no País do Haddad só existirá o PT”, disse.

O vídeo foi compartilhado por apoiadores de Bolsonaro como se Motta falasse oficialmente pelo partido Novo. No texto do compartilhamento, frases como “Amoêdo Renuncia e apoia Bolsonaro”. Confira o vídeo abaixo.

O candidato do partido Novo gravou áudio e postou vídeo em seu Facebook oficial rebatendo a fake news. Ele acusou os apoiadores de Bolsonaro agirem como petistas na reta final da campanha. “O autor do vídeo saiu do novo em 2016 porque não passou no processo seletivo para ser candidato. E hoje é candidato por outro partido. Está usando o nome do Novo para se promover. Infelizmente os apoiadores do Bolsonaro, com as mesmas táticas que tanto condenamos nos petistas, fazem a divulgação dessas notícias falsas mais uma vez”.

PT. Também circula por aplicativos de trocas de mensagens e  redes sociais, uma suposta desistência do candidato Fernando Haddad (PT). No vídeo, Haddad aparece dizendo “aí, moçada, a eleição acabou”.

O texto que acompanha o vídeo diz que “Haddad jogou a toalha”, mas que continua pedindo dinheiro para pagar quem participou de sua campanha. 

O vídeo é verdadeiro, mas foi gravado em 2016 – após as eleições para a Prefeitura de São Paulo. Naquela eleição, Fernando Haddad perdeu para o candidato João Doria (PSDB). De fato, no vídeo,  Haddad pediu para que as pessoas colaborassem para que as dividas daquela campanha, de 2016, fossem quitadas. Confira abaixo:

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.