Haddad afirma que presença da senadora 'faz diferença' na eleição

Marta desistiu da corrida pela indicação do PT para a Prefeitura após pedido de Lula e Dilma, que apoiam o ministro

RAFAEL MORAES MOURA/ BRASÍLIA, JULIA DUAILIBI / SÃO PAULO, O Estado de S.Paulo

08 de novembro de 2011 | 03h00

Numa tentativa de aproximação com a senadora Marta Suplicy (PT), o ministro da Educação, Fernando Haddad, disse ontem que ter a presença dela no palanque "faz muita diferença". Marta desistiu da corrida pela indicação do PT à Prefeitura de São Paulo na semana passada, após pedido da presidente Dilma Rousseff e de pressão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que apoiam Haddad.

"O apoio de toda liderança de expressão é fundamental. Ela foi prefeita da cidade, muito bem avaliada, prefeita a quem eu servi com muita honra. Evidente que a Marta engajada, animada, faz muita diferença", disse Haddad, após participar em Brasília de cerimônia de assinatura de acordo de cooperação para ampliar o número de atendimentos do projeto Soldado Cidadão.

Na quinta-feira, a senadora anunciou publicamente a desistência da candidatura, sem declarar apoio explícito a Haddad. No fim de semana, foi a vez de o senador Eduardo Suplicy comunicar a saída da disputa, após a promessa de Haddad de incluir o projeto de renda mínima no seu programa.

Os deputados Carlos Zarattini e Jilmar Tatto, que se inscreveu ontem nas prévias, dizem que continuam na disputa interna, mas a avaliação no partido é que também sairão do páreo. Haddad trabalha para isso.

"Enquanto nos preparamos para as prévias do dia 27, estamos conversando para tentarmos compor, inclusive incorporando os projetos que foram defendidos pelos outros pré-candidatos", afirmou Haddad. "E acho que, como aconteceu com o senador Eduardo Suplicy, que viu uma de suas teses contempladas, as pessoas vão, eventualmente, sentindo-se contempladas. Não custa fazermos um esforço de entendimento mútuo até o dia 27."

Questionado se não havia sentido falta de um apoio público de Marta, Haddad respondeu: "Ela mantém relações de amizade e apreço com todos os participantes. E os dois deputados foram secretários da sua gestão, então fica um pouco difícil, né? Entendo que o gesto dela foi extremamente generoso e respeitoso".

Acordo. Na quinta, Haddad tem reunião com Tatto para discutir o apoio a sua candidatura. Ontem, o deputado deu demonstração de força interna ao apresentar 14 mil assinaturas apoiando sua inscrição nas prévias.

Os operadores da campanha de Haddad discutem agora questões como a participação na coordenação da campanha do ministro para convencer os outros pré-candidatos a saírem da disputa.

Entre as discussões de bastidores, estão a indicação de Tatto para líder do PT na Câmara e o apoio da sigla a seu aliado político, o deputado estadual Luis Moura, para disputar a Prefeitura de Ferraz de Vasconcelos. Na quinta, Zarattini também se encontra com apoiadores de sua pré-candidatura para debater a questão Haddad. / COLABOROU GUSTAVO URIBE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.