Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Haddad afirma que Cid Gomes deve declarar apoio explícito até dia 28

Na noite do dia 15, o senador e irmão de Ciro Gomes afirmou que o PT deve assumir mea culpa e merece perder a eleição

Mateus Fagundes, O Estado de S.Paulo

16 de outubro de 2018 | 16h37

Um dia depois de o senador eleito Cid Gomes (PDT-CE) se envolver em uma discussão com militantes do PT ao cobrar um mea culpa do partido, o candidato da sigla ao Planalto nas eleições 2018, Fernando Haddad (PT), disse acreditar que o político vai dar uma declaração explícita de apoio a ele até o dia 28.

"Vamos ter o Cid dando uma declaração explícita sobre a minha candidatura porque ele sabe o risco do (Jair) Bolsonaro ser presidente", disse Haddad à Rádio Jornal Meio Norte, do Piauí.

Na noite de segunda-feira, 15, após elogiar Haddad, Cid Gomes afirmou em evento em Fortaleza que membros do PT "têm de pedir desculpas, têm de ter humildade, e reconhecer que fizeram muita besteira". Ele foi vaiado pela militância, que o interrompeu aos gritos de "olê, olê, olê, olá, Lula, Lula". "Lula tá preso, ô babaca. Babaca, babaca. Isso é o PT. E o PT deste jeito merece perder", disse o senador eleito, ex-governador do Ceará e ex-ministro da Educação.

Questionado se também espera o apoio de Ciro Gomes, que conquistou 13,3 milhões de votos no primeiro turno da eleição, Haddad afirmou crer que "estes dois grandes brasileiros assumam a responsabilidade com o País".

Em um sinal de afago aos irmãos Ferreira Gomes, Haddad citou várias vezes o Ceará como exemplo de política pública nas áreas de educação. "Tem cidades do Sul e do Sudeste copiando exemplos do Ceará", afirmou, em uma das passagens. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.