Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Haddad acena para Márcio França e diz 'não saber' se conversará com FHC

Candidato do PT à Presidência da República reafirma intenção de aliança com o PSB no segundo turno, acenando para um apoio a Márcio França na disputa pelo governo de São Paulo

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

09 Outubro 2018 | 11h42

O candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, reafirmou a intenção de uma aliança com o PSB no segundo turno da disputa, acenando para um apoio a Márcio França (PSB) na disputa pelo governo de São Paulo. Após França ter defendido a neutralidade do partido na corrida presidencial, Haddad lembrou que o PT apoia candidatos do PSB em Estados no primeiro e no segundo turno. No último domingo, 7, o PSB elegeu candidatos em Pernambuco, Paraíba e Espírito Santo.

"Essa recomposição de campo é importante para nós", disse Haddad, sobre a intenção de uma aliança com o PSB, citando também o PDT de Ciro Gomes e o PSOL, que já declarou apoio. O petista afirmou que, no momento, ninguém está discutindo a definição de cargos em um eventual governo.

Haddad afirmou ainda que campanha não conversou com lideranças do PSDB e que não sabe se vai procurar o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Para o candidato petista, FHC tem feito declarações "contraditórias" sobre seu posicionamento. Nessa segunda-feira, 8, o tucano negou ter declarado apoio a Fernando Haddad. Ao jornal O Globo, disse que nenhum dos candidatos no segundo turno agrada, mas que "Bolsonaro está excluído". "Não sei, vamos ver", disse Haddad sobre buscar uma conversa com o cacique do PSDB. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.