Gustavo Bebianno, presidente do PSL, minimiza fala de Bolsonaro sobre resultado das eleições

Sobre general Mourão, presidente do PSL afirmou ser uma "pessoa brilhante", mas que não possui "tato para falar com a imprensa"

Francisco Assis, O Estado de S.Paulo

29 de setembro de 2018 | 20h22

O presidente do PSL, Gustavo Bebianno, minimizou a fala desta sexta-feira, 28, do candidato do partido à presidência nas eleições 2018, Jair Bolsonaro. Ele afirmou em entrevista à TV Bandeirantes que não aceitará qualquer resultado diferente do que o da sua eleição.

Bebianno disse a jornalistas que aguardavam a saída de Bolsonaro do Hospital Albert Einstein que o candidato quis dizer, em sua fala, que seria estranho as urnas não refletirem o que tem sido observado nas ruas. "O nosso problema com as urnas é que elas não permitem recontagem dos votos, que fica restrita a meia dúzia de técnicos", afirmou.

Sobre as falas do candidato à vice da chapa, general Antonio Hamilton Mourão (PRTB), Bebianno disse que ele é uma "pessoa brilhante", mas que não "possui tato para falar com a imprensa", e que isso tem gerado problemas.

Na avaliação do presidente do PSL, a campanha do partido foi muito prejudicada ao longo desse mês, com a internação de Bolsonaro, tendo em vista que a campanha é feita com poucos recursos e muito centrada na figura do candidato. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.