Gushiken obtém 1º voto por absolvição

O relator do processo do mensalão, Joaquim Barbosa, defendeu ontem a absolvição do ex-ministro Luiz Gushiken, investigado por suspeita de envolvimento com o mensalão, alegando "não haver provas" para puni-lo. O próprio procurador-geral e acusador, Roberto Gurgel, havia pedido a absolvição. Nas alegações encaminhadas ao STF em julho de 2011, Gurgel disse que, durante a instrução do processo, não se encontraram provas contra ele: "Muito embora a denúncia tenha atribuído a coautoria do peculato a Luiz Gushiken (...), em razão de depoimentos prestados por Henrique Pizzolato, no sentido de que sempre agiu a mando de Luiz Gushiken, não se colheram elementos (...) que justificassem a sua condenação". Normalmente, a Justiça segue a opinião do MPF nesses casos. Gurgel também pediu a absolvição de Antonio Lamas, do extinto PL.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.