Grupo vive sob ameaça e mulher é atacada na estrada

Uma mulher índia de 22 anos da aldeia Pyelito Kue foi atacada sexualmente na tarde do último dia 24, quando se dirigia a Iguatemi para receber o Bolsa Família. A polícia investiga a participação de oito homens no ataque. No sábado, a vítima foi levada pela Funai para exames médicos em Naviraí, cidade vizinha da aldeia onde ela vive.

O Estado de S.Paulo

29 de outubro de 2012 | 03h09

"Ela contou à polícia que foi atacada numa fazenda perto de Iguatemi quando o motoqueiro que lhe dava carona entrou na estrada da fazenda e um grupo de homens os estava esperando", explicou Líder Lopes, chefe do acampamento. Segundo Lopes, a mulher recebeu carona quando estava na casa de parentes na vizinha Reserva de Sassoró. De acordo com o chefe do grupo, a mulher já voltou ao acampamento.

A comunidade Pyelito Kue vive dias de tensão e denuncia que vem sendo ameaçada por pistoleiros. Segundo o representante do Conselho Indigenista Missionário (Cimi), Flávio Vicente Machado, a polícia ainda está tentando identificar os agressores da índia. / P.P.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.