Grupo picha e joga pedras e papéis em prédio da revista 'Veja'

Grupo picha e joga pedras e papéis em prédio da revista 'Veja'

O movimento aconteceu após a revista trazer na capa a informação de que Dilma e Lula sabiam do esquema de corrupção na Petrobrás

Agência Estado

25 de outubro de 2014 | 10h43

SÃO PAULO - Um grupo com cerca de 20 pessoas realizou nesta sexta-feira, 24, um protesto em frente ao prédio da Editora Abril - que edita a revista Veja -, na zona oeste de São Paulo. Os manifestantes jogaram papel na entrada do prédio, picharam um dos muros e atiraram pedras. A polícia dispersou o ato. Ninguém foi detido. A editora Abril informou por meio de sua assessoria que não iria comentar o caso.

O movimento aconteceu após a revista, que começou a circular na manhã de sexta-feira, trazer na capa a informação de que a presidente Dilma Rousseff (PT) e seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva, sabiam de todo o esquema de corrupção montado na Petrobrás.

A reportagem cita depoimento do doleiro Alberto Yousseff à Polícia Federal, prestado na última terça-feira em Curitiba, no processo de delação premiada.

A ANJ (Associação Nacional de Jornais) manifestou-se sobre o episódio ocorrido na sede da Abril: "Foi uma manifestação de intolerância, uma lamentável tentativa de intimidação, próprias de quem não sabe conviver na democracia e num país com liberdade de imprensa."

A Abert (Associação Brasileira das Emissoras de Rádio e Televisão) divulgou nota para repudiar os ataques à Editora Abril. A entidade acompanha com preocupação o episódio e diz que considera grave qualquer tipo deintimidação contra a liberdade de imprensa. A nota é assinada pelo seu  presidente, Daniel Slaviero.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.