Grupo pede afastamento de Demóstenes de procuradoria

Um grupo de 82 integrantes do Ministério Público de Goiás e da União pediu o afastamento do senador cassado Demóstenes Torres (ex-DEM, sem partido) da função de procurador de Justiça no Ministério Público de Goiás (MPE). O pedido de afastamento liminar foi protocolado ontem no Conselho Nacional do Ministério Público.

RUBENS SANTOS , ESPECIAL PARA O ESTADO / GOIÂNIA, O Estado de S.Paulo

28 de agosto de 2012 | 03h06

"Não temos expectativa sobre qual será a decisão ou quando vai ocorrer. Mas temos a certeza de que essa angústia, criada pelo retorno do Demóstenes Torres ao Ministério Público, vai ter de acabar", afirmou o promotor Reuder Cavalcante Motta, da 3.ª Promotoria de Justiça em Itumbiara (GO). Reuder Motta explicou que a iniciativa deve-se ao constrangimento pela presença do ex-senador, cassado em julho por quebra de decoro parlamentar.

Demóstenes Torres foi acolhido pelo MPE após 13 anos de afastamento - período em que foi secretário de Segurança Pública, em Goiás, depois eleito e reeleito senador.

Ao oficializar seu retorno, no dia 20 de julho, a Corregedoria-Geral abriu sindicância para apurar possíveis irregularidades de conduta. "O tempo está passando e a sindicância não vai caminhar para lugar nenhum", critica o promotor Robertson Alves Mesquita. Ele teme que o processo seja arquivado.

"O Demóstenes deve ser afastado liminarmente. E, no fim do procedimento instaurado, ser punido com suspensão ou perda da função pública", ressaltou.

Sinusite. Procurado em seu gabinete, um funcionário informou que Demóstenes está, desde a semana passada, em licença médica de 30 dias, para tratamento de sinusite. E seu advogado, Antônio Carlos de Almeida Castro, não respondeu às ligações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.