Governo prioriza atenção às famílias já assentadas

O programa de redistribuição de terras no Brasil já beneficiou cerca de 1 milhão de famílias. O governo da presidente Dilma Rousseff tem dado seguidas demonstrações de que não está interessado em ampliar significativamente esse número. O foco das atenções tem sido a melhoria dos assentamentos já existentes.

CENÁRIO: Roldão Arruda, O Estado de S.Paulo

07 de outubro de 2013 | 02h13

Essa inflexão está ligada à constatação de que boa parte das famílias assentadas ainda vive na miséria e não consegue produzir alimentos sequer para sua subsistência. Não por acaso, desde a posse de Dilma, vem aumentando o poder e a influência do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome na definição de estratégias voltadas para a questão agrária.

O objetivo é concentrar as ações nos bolsões rurais de miséria e fazer com que as famílias produzam para a sua subsistência e também para a comercialização. Isso geraria renda e ajudaria no cumprimento das metas de superação da miséria.

Tudo o que sabemos sobre:
Reforma AgráriaDilma

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.