Governo 'erra' ao não apresentar proposta, diz CUT

O secretário-geral da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Sérgio Nobre, afirmou ontem que o governo erra ao não apresentar uma proposta salarial aos servidores públicos. "Há um erro no governo de dizer que tem limitação no Orçamento e não dizer qual é. Deveria pegar a proposta do servidor e falar: 'Isso eu não posso atender, mas posso fazer isso aqui'." Ele também criticou o modelo de negociação salarial. "Todas as categorias em greve têm o mesmo patrão. Deveria haver uma mesa unificada para tratar das questões do trabalhador, com um contrato coletivo", disse.

O Estado de S.Paulo

11 de agosto de 2012 | 03h06

Outro dirigente da CUT, Quintino Severo, secretário de Finanças, afirmou que o ex-presidente Lula negociava mais com os trabalhadores e adotou estratégia diferente no combate à crise. "O presidente negociava e buscou estimular o consumo e o mercado interno, de modo a evitar conflito contra ele que prejudicasse os trabalhadores", afirmou. "À medida que o governo (Dilma) atrai tudo que é coisa ruim contra ele, as dificuldades são cada vez maiores." Severo avaliou que a greve pode aumentar, já que categorias como bancários, petroleiros e setores do funcionalismo federal farão campanha salarial em setembro. "A tendência é ampliar o grau de pressão e tensionamento. Vai rebater no governo." O secretário disse que a CUT cobrou do PT "responsabilidade de ajudar a resolver o impasse", Segundo ele, a conversa surtiu efeito. / DÉBORA BERGAMASCO e FERNANDO GALLO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.