Governo do Rio compra reportagem em revista americana

Executivo fluminense não revelou o preço pago pela publicação e alega que objetivo é divulgar o Estado no exterior

RIO , O Estado de S.Paulo

01 de fevereiro de 2012 | 03h02

O governo fluminense comprou quatro páginas coloridas de matéria paga na edição de janeiro/fevereiro da Foreign Affairs, a mais prestigiada publicação sobre política internacional do mundo, para, segundo afirma, divulgar o Rio de Janeiro no exterior.

Em uma época de crise das economias centrais, onde faltam recursos e a estagnação econômica persiste, o Executivo fluminense foi para Nova York em busca de investimentos para o Estado. Custeou, a preço que não revela, um seminário promovido com a grife da revista no Council on Foreign Relations (o Rio de Janeiro Investiment Conference), em 30 de novembro, e a divulgação da "reportagem" sobre o Rio. O texto incluiu uma entrevista com o governador Sérgio Cabral Filho (PMDB), ilustrada com duas fotos dele, na qual o político elogia fortemente a sua própria administração.

Procurado pelo Estado, o governo do Rio recusou-se a revelar quanto gastou com a revista. O Palácio Guanabara informou já ter promovido eventos com publicação de material no exterior em outras ocasiões - uma delas, no diário americano The Washington Post.

O objetivo da publicação na Foreign Affairs, segundo o Executivo, é a divulgação internacional do Estado, dentro de uma estratégia de marketing e publicidade mais ampla.

A Assessoria de Comunicação Social alegou não saber quanto custou a publicação nem poder levantar esse dado, porque o negócio foi fechado por meio de agência e por não poder revelar o preço da tabela de anúncios de publicações, por uma "questão publicitária de mercado".

Desenvolvimento. Na entrevista que ocupa, em parte, três páginas da publicação, Cabral apresenta os principais outdoors da sua administração, as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) e as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). Fala do saneamento financeiro do Estado e da obtenção, pelo Rio, do grau de investimento, concedido pela agência de classificação de risco Standard & Poor's.

"Outro ponto importante é a educação. Depois de décadas de negligência, nosso compromisso é melhorar o desempenho das escolas públicas do Rio no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica. Nosso objetivo é que até 2013 o Rio de Janeiro esteja entre os cinco melhores Estados", diz o governador na entrevista. Em 2011, o Rio ficou em penúltimo no Ideb entre 27 unidades da Federação, à frente apenas do Piauí.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.