Governador tucano discorda de FHC sobre voto de 'desinformados' no PT

Beto Richa, reeleito governador do Paraná no 1º turno, comentou fala de ex-presidente e atribuiu bom desempenho eleitoral dos petistas aos programas sociais

Erich Decat e Elizabeth Lopes, O Estado de S. Paulo

13 de outubro de 2014 | 11h22

Brasília - O governador reeleito do Paraná, Beto Richa (PSDB), discordou nesta segunda-feira, 13, da análise do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso de que quem vota no PT estaria desinformado. "Respeito muito a opinião do presidente, mas nesse aspecto discordo. Acredito que a votação forte do PT, não só agora, mas em todas eleições anteriores, é em função dos programas sociais, que têm uma predominância muito forte no Nordeste. E isso fez com que ao longo dos últimos anos fortalecesse demais o seu partido e os partidos aliados", afirmou o governador.

Logo após a divulgação dos resultados do primeiro turno em que apontou ampla vitória da candidata à reeleição, Dilma Rousseff (PT), na Região Nordeste, o ex-presidente FHC classificou o eleitor da petista como desinformado. A declaração causou reações das principais lideranças do PT que acusaram o tucano de ter sido preconceituoso. 

O governador do Paraná, Beto Richa, também considerou que o partido está pronto para rebater os ataques nesta reta final das eleições presidenciais quanto às questões relacionadas aos possíveis desvios cometidos pelos tucanos. "Esse tema da corrupção está na agenda, imposto pelos próprios brasileiros, pela imprensa que tem trazido à tona todas esse escândalos e denúncias que envergonham todos os brasileiros", afirmou.

"Vi ontem a declaração do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e não tem o que temer. Ele próprio pediu a este governo que o investigue, que investigue todos os atos do seu período à frente da presidência da República", acrescentou ao falar sobre as suspeitas de compra de votos de congressistas durante a discussão da proposta de reeleição ocorrida no governo FHC.

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesFHCDilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.