Governador evita embate, mas aliados citam impeachment

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) elogiou ontem o vice-governador Guilherme Afif Domingos (PSD). Em nota, o tucano disse que "com o convite, São Paulo dá hoje mais uma contribuição para o Brasil". "Nosso vice-governador haverá de fazer ainda mais por São Paulo."

O Estado de S.Paulo

07 de maio de 2013 | 02h01

No texto, Alckmin "parabeniza" a presidente Dilma Rousseff pela escolha que fez e fala da "trajetória destacada na defesa e na valorização do empreendedorismo e das micro e pequenas empresas" de Afif. Aliados do tucano chegaram a lhe sugerir que articule a abertura de processo de impeachment contra Afif na Assembleia, caso o vice não assuma o governo na ausência de Alckmin - mas este deixou claro que prefere evitar o confronto e não questionar o acúmulo de cargos de Afif.

Em nota, Afif se disse "muito honrado" com o convite de Dilma. "Recebo com entusiasmo essa missão, pela importância que tem o segmento na geração de emprego e distribuição de renda." E agradeceu a Alckmin pela presidência do Conselho Gestor das Parcerias Público-Privadas, ao qual renunciou com a indicação ao ministério.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.