Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Globo pede que Suplicy não faça referência a seus programas

Campanha do petista divulgou várias inserções nas quais aparecem TVs ligadas no seriado da emissora 'A Grande Família'

Valmar Hupsel Filho e Ricardo Chapola, O Estado de S. Paulo

18 de setembro de 2014 | 18h59


A TV Globo encaminhou nessa quarta-feira, 17, uma notificação extrajudicial à campanha do candidato do PT ao Senado, Eduardo Suplicy, exigindo que não fizesse mais referências a programas da emissora no horário eleitoral gratuito. Nesta semana, a campanha do petista fez referência ao seriado "A Grande Família" ao veícular uma animação que simula uma sala de televisão ligada no programa "A Grande Família". Ao fundo, toca uma trilha sonora que também remete à música do seriado. 

Segundo o documento da emissora, a Globo não autoriza o uso de conteúdos de suas obras em propagandas eleitorais. "Esse procedimento está sendo utilizado com todos os partidos que usam indevidamente nosso conteúdo, uma vez que a Globo, por princípio, não autoriza utilização de suas obras em campanhas eleitorais", informa a notificação. 

Responsável pelos programas de TV da campanha do senador petista, o publicitário Chico Malfitani disse que em reunião na noite desta quarta-feira, 17, informou ao jurídico da emissora que o episódio Minha Grande Família foi o último com referências a programas da Globo programado para ser veiculado. "Foi uma conversa informal em que a emissora nos solicitou que não usasse mais referências a seus programas", disse. 

Segundo ele, nos próximos dias serão veiculados programas com outras analogias. "Mas não de programas da Globo", disse ele, sem informar o conteúdos das próximas inserções. 

Malfitani disse que já é "meio freguês" da Globo porque desde 2006 costuma usar analogias a produtos da emissora em programas eleitorais, como as novelas Páginas da Vida e Meu Pedacinho de Chão. 

O publicitário diz que usa deste expediente para chamar atenção do telespectador para a campanha a senador, que é "sanduichada" entre as propagandas para governador e deputados. "A ideia é que a pessoa olhe e pense 'já vi isso em algum lugar", disse ele, lembrando que isso é comum no horário eleitoral. "Em 1989 o PT tinha a TV Povo, que fazia a referência à TV Globo", lembra. 

Os programas de Suplicy  foram veiculadas na quarta, na segunda e na última sexta-feira, um dia após o episódio final da série na TV Globo.

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesEduardo SuplicyTV Globo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.