Gilmar Mendes pede inquérito contra revista

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, requereu à Procuradoria-Geral da República abertura de inquérito por calúnia, injúria e difamação contra a revista Carta Capital. Na representação, ele afirma que a revista, na edição 708, o acusou de receber R$ 185 mil do chamado "mensalão mineiro", em março de 1999, quando era advogado-geral da União. Mendes diz que só virou advogado-geral em janeiro de 2000. Em 1999, era subchefe para Assuntos Jurídicos da Casa Civil. Diz que a lista é falsa, que a revista sabia da falsificação e, mesmo assim, publicou-a. Mendes comenta que a revista trouxe a reportagem para levantar dúvidas a respeito de sua capacidade de julgar o processo do mensalão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.