Gestora foi aberta com capital de US$ 10 mil

Empresa panamenha, sócia majoritária do hotel, está autorizada a 'abrir e manejar contas' em 'qualquer lugar do mundo'

Andreza Matais / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

05 Dezembro 2013 | 02h09

A Truston International Inc, sócia majoritária do hotel Saint Peter, novo empregador do ex-ministro José Dirceu, está autorizada a "abrir e manejar contas bancárias no Panamá ou em qualquer outro lugar do mundo", conforme documentos da junta comercial daquele país.

A empresa foi constituída em 1° de julho de 2008, com sede no Panamá, como uma sociedade por ações. Também pode "comprar, vender transferir, negociar, financiar, permutar, administrar, tomar e dar empréstimo em qualquer lugar do mundo." A empresa foi aberta com capital de US$ 10 mil, embora o hotel que adquiriu tenha sido vendido em 2005 por R$ 7,4 milhões para o grupo Fenícia.

Controle. Em 2007, o hotel, já reformado, passou para o controle do empresário Paulo Abreu e da Truston. Reportagem do Jornal Nacional revelou que a empresa é presidida por um auxiliar administrativo e uma secretária do escritório de advocacia do Panamá Morgan y Morgan - representante legal da Truston. O presidente da empresa panamenha, José Eugenio Silva Ritter, é sócio de outras mil empresas e mora num bairro pobre do Panamá.

A informação sobre a participação da Truston no hotel consta de documento da Junta Comercial do Distrito Federal entregue pelos advogados de Dirceu ao Supremo Tribunal Federal no pedido para que ele possa ser liberado para trabalhar fora da cadeia.

Ontem, a advogada do hotel, Rosane Ribeiro, informou ao Estado que "no final de agosto de 2012" as cotas da Truston foram transferidas para uma pessoa da família Abreu. Ao contrário do que ocorre no Brasil, pela legislação do Panamá os empresários não são obrigados a informar às autoridades quando as companhias são transferidas de donos.

O Estado teve acesso a documentos que mostram, entretanto, que em agosto de 2012, a empresa ainda era comandada pelo panamenho José Eugenio Ritter. Na ocasião, houve uma mudança na forma de distribuição das ações da empresa que eram emitidas em ações nominais ou ao portador e passaram a ser emitidas apenas em ações nominais - quando é preciso identificar quem esta recebendo o dinheiro e a ação só pode ser negociada depois que a empresa que emitiu o papel registrá-la em um livro de registro de ações nominativas.

No documento está escrito que Ritter participou da reunião do conselho como presidente. Não há menção ao nome de algum familiar de Abreu.

Sócio majoritário. A advogada também informou que desde segunda-feira a Truston não tem mais participação no hotel e Paulo de Abreu passou a ser o sócio majoritário. O Saint Peter é o único hotel do empresário, que atua fortemente no setor de radiodifusão. Ele é dono da TOP TV que acaba de ser beneficiada pelo governo com autorização para transferir sua antena na região metropolitana de São Paulo para a Avenida Paulista, o que significa aumentar seu raio de ação. A advogada informou, ainda, que a Truston foi aberta no Panamá, conhecido paraíso fiscal, porque a intenção era criar uma bandeira internacional do hotel.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.