Genro afirma que Gentili 'passou dos limites' com montagem dela e Hitler

Comediante mostra que defesa do socialismo feito por candidata do PSOL também serviria para ditador alemão e a doutrina nazista

O Estado de S. Paulo

16 de setembro de 2014 | 22h04

Após a polêmica entrevista com a candidata do PSOL, Luciana Genro, o apresentador do programa "The Noite" do SBT, Danilo Gentili, colocou uma montagem na internet onde equiparava uma das respostas concedidas como se possíveis de terem saída da boca do ditador do nazismo alemão, Adolf Hitler. Ofendida, Luciana afirmou também pela rede social Facebook que o comediante havia "passado dos limites"

"Gentili confirma que realmente precisa estudar. Apologia ao nazismo é crime. O holocausto nazista matou milhões. Minha família tem origem judia e não admito brincadeira com esta tragédia da humanidade", escreveu Genro em sua página.

Na montagem em questão, uma das respostas da candidata do PSOL durante o programa que mandava o apresentador estudar mais após afirmar que o comunismo (ideologia defendida pelo partido) havia matado milhões de pessoas.

"Não é bem assim", afirmava Genro no 'meme'. "Eu sou muito boa em argumentos", pensa no quadrinho seguinte. A mesma fala é aplicada saindo da boca de Hitler, dando a entender que os argumentos de Genro para defender o "internacional socialismo", também serviriam para defensores do nazismo.

Durante a entrevista no programa "The Noite", Luciana Genro defendeu que o socialismo ideal nunca existiu e que não se identifica com "experiências que se chamavam socialistas e não eram". Segundo ela, a diferença dos ideais do PSOL com os que resultaram no autoritarismo soviético seria a falta de liberdade.

"Por isso botamos o nome de socialismo e liberdade no nosso partido, para diferenciar de experiências autoritárias", afirmou durante o programa.   

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.