Genoino diz ter respaldo da lei e votos para voltar à Câmara

O ex-presidente do PT e suplente de deputado José Genoino (SP) disse que tem respaldo legal para assumir o mandato na Câmara em 2013. Condenado a penas que somam 6 anos e 11 meses de prisão por corrupção ativa e formação de quadrilha no processo do mensalão, Genoino é suplente do petista Carlinhos Almeida, prefeito eleito de São José dos Campos (SP).

O Estado de S.Paulo

21 de novembro de 2012 | 02h04

Em entrevista divulgada ontem à noite pela TVT, emissora ligada ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Genoino lembrou que recebeu 92 mil votos em 2010 - foram 92.362 - e que sua posse como deputado teria respaldo constitucional. Entretanto, o petista não disse de forma específica que quer retornar à Câmara ou se vai pedir para ser empossado.

O Supremo Tribunal Federal ainda não decidiu se os parlamentares condenados no julgamento do mensalão também devem perder os mandatos ou se essa decisão caberia à Câmara.

'Conjuntura'. Genoino voltou a se declarar inocente e disse que o julgamento "se deu numa conjuntura política muito específica, que fizeram coincidir com as eleições, e a grande imprensa teve um papel decisivo". "Houve uma visão binária: ou condena, ou é conivente", afirmou.

O ex-presidente do PT disse que teve o sigilo bancário quebrado e que não foram encontradas irregularidades. "A minha história não é de dinheiro, é de histórias", afirmou Genoino. "O que eu fazia no Congresso eram reuniões. As pessoas diziam que eu era um deputado sem mandato. Nunca tratei de pagamento, de recebimento de nada."

A reportagem mostrou apenas trechos das falas de Genoino. O ex-presidente do PT lembrou o período de prisão durante a ditadura militar. "Você acha que quando eu estava preso, com aquela fotografia, eu imaginava que seria deputado? Tinha dia que o que eu queria era água. Não sabia o que ia acontecer no dia seguinte", disse Genoino. "Temos que ser pacientes com as nossas convicções." / LUÍSA MELO, ESPECIAL PARA O ESTADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.