Geddel reclama de apoio de Dilma em Salvador

Presidente estreou na campanha de TV de Nelson Pelegrino (PT); peemedebistas já ensaiam apoio ao DEM de ACM Neto no 2º turno

TIAGO DÉCIMO / SALVADOR, O Estado de S.Paulo

19 de setembro de 2012 | 03h05

Três dias depois de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ir a Salvador e participar de um comício do candidato à prefeitura, Nelson Pelegrino (PT), anteontem foi a vez de a presidente Dilma Rousseff aparecer na propaganda eleitoral para pedir votos.

A presença de Dilma na campanha de Pelegrino desagradou ao PMDB, que é oposição ao PT na Bahia, apesar de ser o principal aliado da sigla nacionalmente. Os peemedebistas lançaram candidato próprio na disputa em Salvador - o radialista e ex-prefeito Mário Kertész.

Nos bastidores, tão logo foi noticiado que Dilma havia gravado para a propaganda eleitoral de Pelegrino, na semana passada, houve quem apontasse "traição" e defendesse a retirada da candidatura de Kertész e o apoio da legenda ao candidato ACM Neto (DEM), que lidera as pesquisas de intenção de voto.

A tese da "traição" foi desmentida pelas lideranças do partido na Bahia, os irmãos Geddel e Lúcio Vieira Lima e pelo próprio candidato. O PMDB, porém, não descarta a possibilidade de apoiar Neto em eventual segundo turno contra Pelegrino. O quadro de disputa entre o candidato do DEM e o petista foi apontado pela pesquisa Ibope divulgada na quinta-feira. O levantamento mostra ACM Neto com 39% de intenções de voto. Pelegrino tem 27% e Kertész aparece em terceiro, com 6%. Geddel, ex-ministro da Integração Nacional, e Lúcio, deputado federal, evitam comentar a possibilidade de apoio no segundo turno - dizem que ainda há margem para que a candidatura do peemedebista cresça e leve o partido para o segundo turno. Mas nos bastidores comenta-se que PMDB e DEM já iniciaram conversas.

Visita. Em uma fala de um minuto, Dilma referendou o mote de campanha de Pelegrino - que afirma ser necessária a parceria com os governos estadual e federal (ambos comandados pelo PT) para se fazer uma boa administração na cidade. A presidente disse que eleger o candidato petista é uma "oportunidade histórica" para a população de Salvador.

Segundo o comando da campanha de Pelegrino, está sendo articulada uma visita da presidente à cidade, mas ela só deve ocorrer no segundo turno.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.