Gasto com servidor barrou investimentos, diz Tocantins

Governo do Estado cita 17 leis aprovadas em 'gestões passadas' que deram 'progressões, promoções e aumentos'

CÉLIA BRETAS TAHAN , ESPECIAL PARA O ESTADO/ PALMAS, O Estado de S.Paulo

01 Dezembro 2013 | 02h18

O governo de Tocantins, Estado onde os investimentos mais caíram nos últimos quatro anos, citou o aumento de gastos com servidores públicos ao tentar explicar o fenômeno.

Os funcionários efetivos tiveram 51% de aumento médio nos salários desde dezembro de 2010. Na época, o valor médio dos contracheques era de R$ 3,7 mil, e agora está em R$ 5,7 mil.

"A folha de efetivos saltou de cerca de R$ 121 milhões de dezembro de 2010 para R$ 203 milhões em junho deste ano", informou o governo, citando 17 leis aprovadas em "gestões passadas" que concederam "aumentos, progressões e promoções" a servidores efetivos, com impacto financeiro a partir de 2011.

Outro baque no orçamento do Executivo ocorreu com o repasse maior de recursos para outros poderes. "O governo anterior aumentou o orçamento do Judiciário em 96%, o do Legislativo em 38% e do Ministério Público Estadual em 30%, causando redução de caixa de cerca de R$ 400 milhões por ano."

A arrecadação própria tem melhorado. O setor agrícola, base da economia local, cresceu 3,9% no segundo trimestre de 2013, em relação ao trimestre anterior, e 13% na comparação com o mesmo período de 2012. O mesmo não se pode dizer dos repasses federais. "Um fator importante é o déficit nos repasses do Fundo de Participação do Estado, que todos os meses têm ficado abaixo da previsão da Secretaria do Tesouro Nacional", disse a Secretaria de Planejamento.

Na lista de investimentos em execução ou programados estão a ampliação do número de escolas de tempo integral, mil quilômetros de novas rodovias e construção e reforma de hospitais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.