Gabeira suspeita de fraudes, mas diz que vencerá 'por um nariz'

Ibope mostrou que o candidato verde e o adversário, Eduardo Paes seguem empatados na disputa do Rio

Jacqueline Farid , da Agência Estado

26 de outubro de 2008 | 15h10

O candidato do PV à prefeitura do Rio, Fernando Gabeira, que votou por volta das 8h20 numa escola municipal na zona sul da cidade, disse estar confiante na vitória e comparou as eleições cariocas a uma corrida de cavalos, que ele vencerá "por um nariz". Disputado como celebridades pelas câmeras de fotógrafos e cinegrafistas, ele chegou à zona eleitoral em jipe aberto que já foi apelidado por eleitores e jornalistas de "gabeirão". Gabeira mostrou otimismo e disse estar preocupado com a possibilidade de fraude. Segundo o candidato, há suspeita de que alguns mesários teriam sido pagos para votar no seu adversário, pouco antes das 17 horas, por eleitores ausentes, mas ressalvou que isso não comprometerá a sua vitória.  Veja também:Paes vota e diz que tem 'leve vantagem'Especial: Perfil dos candidatos do Rio  'Eu prometo' traz as promessas de Gabeira e Paes Geografia do voto: Desempenho dos partidos nas cidades brasileiras Confira o resultado eleitoral nas capitais do País   "Confiamos que nossa margem de vantagem será suficiente para vencermos, apesar de fraudes que não vão alterar o resultado", afirmou. "Será uma vitória apertada, difícil, mas são essas vitórias difíceis que depois trazem bons resultados." O candidato disse que seu objetivo é "estabelecer uma cidade unida". Segundo ele, a proposta de sua candidatura é priorizar o desenvolvimento e a segurança, mas com solidariedade e estímulo às iniciativas voluntárias que marcaram sua campanha.  Ele citou também a crise econômica mundial que se agravou nas últimas semanas. "Tenho consciência da gravidade deste momento", ressaltou, negando que sua candidatura esteja vinculada exclusivamente à zona sul do Rio. "Representamos a cidade no seu conjunto." Gabeira disse apostar na escolha de última hora dos indecisos pela sua candidatura e afirmou estar arrependido do seqüestro do embaixador americano Charles Elbrick, em 1969.  "Consideramos o seqüestro uma forma abominável que não deve ser usada de forma nenhuma, foi um erro na nossa vida", disse. Bem-humorado, o candidato chegou a arriscar uma otimista previsão meteorológica e, apesar do céu completamente encoberto naquele momento, disse que o dia seria de muito sol, o que se confirmou duas horas depois.   'Gabeirar'  Estimulados pelo bom tempo, os eleitores cariocas foram à praia. Porém, há poucas bandeiras ou blusas com os nomes dos candidatos. Uma das poucas exceções, na manhã de hoje, era o escultor de areia Robson Bahia, que posou com uma bandeira de Gabeira ao lado da escultura que ergueu, na areia de Ipanema, com o nome de Barack Obama, candidato do Partido Democrata às eleições nos Estados Unidos. "Vamos Gabeirar", gritava ele para os eleitores que passeavam na praia. Robson disse que vota em Gabeira porque o candidato representa "uma mudança" e poderá ajudar a superar as desigualdades sociais no Rio.  O escultor reflete com perfeição a divisão que tomou conta neste segundo turno na cidade, no qual os dois candidatos - além de Gabeira, concorre   Eduardo Paes, do PMDB - chegaram empatados à reta final, segundo as principais pesquisas eleitorais. Segundo ele, "só não voto em Paes porque vou votar no Gabeira, mas se não fosse isso poderia votar nele (Paes)". Ele explicou que preferiu erguer a estátua com o nome de Obama, e não do seu candidato à prefeitura do Rio, para não ofender nenhum dos admiradores do seu trabalho na orla e que podem ter outra opção eleitoral. Material apreendido O Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) informou que um homem foi detido no Rocha, na zona norte do Rio, com 5 mil panfletos e 90 bandeiras do candidato Eduardo Paes dentro de uma van.  De acordo com a assessoria de comunicação do TRE-RJ, o detido presta esclarecimentos neste momento aos promotores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.