Fórum Estadão/Faap: Jornalismo será essencial no combate às fake news

Para o professor da ECA-USP e colunista do Estado, Eugênio Bucci,o jornalismo é uma verificação politicamente independente dos fatos

O Estado de S.Paulo

11 de junho de 2018 | 12h52

O jornalismo profissional será essencial no combate às chamadas fake news nas eleições deste ano, avaliaram especialistas que participam do Fórum Estadão-Faap Campanha Eleitoral e Fake News, realizado na manhã desta segunda-feira, 11, em São Paulo, tanto na checagem de fatos como na cobertura eleitoral. 

+ Especialistas sugerem compliance para tornar campanhas mais éticas

Para o professor da ECA-USP e colunista do Estado, Eugênio Bucci,o jornalismo é uma verificação politicamente independente dos fatos. "O critério inicial é tentar organizar o debate em torno da verdade", diz Eugênio Bucci sobre como lidar com as fake news. "Na política a gente lida com a verdade factual. Se uma coisa pode ser verificada ou não. E a política é o debate sobre isso. O poder de separar verdade e mentira não é do estado, é da sociedade."

Para Fabio Malini, coordenador do Laboratório de Estudos sobre Imagem e Cibercultura, da Universidade Federal do Espírito Santo, o problema do papel das redes sociais na disseminação de fake news é que elas não têm o controle sobre o que é publicado. 

"O que vemos é a propagação de discursos de propaganda que emulam o conteúdo jornalístico", explicou. "Além disso, o envolvimento afetivo de quem consome essas notícias falsas faz com quem as produza mande o conteúdo para quem 'quer ter razão'"

Bucci ressalta que as soluções propostas pelo Facebook e pelo Google para diminuir o conteúdo falso nas redes tem um problema. "O selo 'isso pode ser considerado falso' não pode vir de uma única coorporação,  como o Facebook, que monopoliza o cenário mundial

Diretor de Análises de Políticas Públicas da FGV-Rio, Marco Aurélio Ruediger, lembrou que no momento atual da sociedade brasileira há um déficit de confiança extremo nas instituições, nas políticas e nas próprias informações consumidas e divulgadas na internet. " Num processo político as pessoas podem dizer o que querem, mas em que grau a informação falsa passa a ser danosa para a democracia?", questionou Ruediger, no painel moderado pela jornalista Edilamar Galvão, coordenadora do Laboratório de Jornalismo da Faap.

Para Daniel Bramatti, presidente da Associação Brasileira de Jornalismo investigativo, o País vive hoje um processo claro de tentativa de deslegitimação da imprensa por parte da esquerda e da direita. "Além disso, vivemos um momento de fragilidade da mídia porque sua sustentabilidade econômica está sob ataque", lembrou. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.