Forma de divulgar os dados dificulta a transparência

O governo paulista divulgou as listas de emendas na internet na sexta-feira - após longa cobrança da imprensa e dos próprios parlamentares - em formato PDF, o que impossibilita a hierarquização de informações. O PDF funciona como uma foto, que impede, por exemplo, a soma das milhares de emendas. Somente a partir desta soma é possível fazer o ranking dos deputados que mais liberaram verbas. Ou seja, é preciso converter o PDF numa planilha de Excel para de fato obter esse ranking.

O Estado de S.Paulo

06 de novembro de 2011 | 03h05

A divulgação das informações sobre emendas em PDF contraria o que diz a Lei de Acesso à Informação, que obriga os governos a publicar dados em textos e planilhas, justamente para facilitar o manuseio e permitir que o cidadão hierarquize as informações como achar melhor.

Nas listas divulgadas sexta-feira pelo governo de São Paulo, as cidades foram listadas em ordem alfabética, mas não os nomes dos deputados, o que impossibilita que o cidadão veja aglutinadas todas as emendas de cada parlamentar. / F.G e D.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.