Arte<br>
Arte

Filhos de clãs tradicionais fazem disputa entre amigos no RN

Robinson Faria, dos chamados araras. tem 54% enquanto Henrique Eduardo Alves, dos bacuraus, 46%

Murilo Rodrigues Alves, Especial para O Estado

25 de outubro de 2014 | 19h41

Historicamente dividido entre bacuraus (eleitores da família Alves) e araras (eleitores da família Maia), o Rio Grande do Norte decide hoje se continua sob o comando desses dois clãs – unidos nestas eleições – ou se dará oportunidade para outra tradicional família do Estado: a Faria.

O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB), montou aliança com 17 partidos e foi o mais votado no 1.º turno com 47% dos votos válidos, ante 42% do vice-governador Robinson Faria (PSD). No 2.º turno, as pesquisas dão vantagem a Faria, cuja coligação tem apoio do PT.

Ambos construíram suas carreiras no Parlamento: na Câmara, Alves foi eleito 11 vezes – está lá há 44 anos; na Assembleia, Faria foi deputado por seis vezes e também já presidiu a Casa.

Alves não teve o mesmo sucesso em eleições majoritárias. Perdeu quando disputou a prefeitura de Natal em 1988 e 1992.

“No imaginário do eleitor do Rio Grande do Norte, Alves nunca conseguiu se livrar da pecha de ser apenas o filho do Aluízio, sem ter uma liderança própria identificada com as questões daqui. Por isso sua alta rejeição”, diz o cientista político da Universidade Federal do Rio Grande do Norte José Antonio Spinelli. Nascido no Rio, Alves foi eleito para o primeiro mandato aos 19 anos.

Já Faria, se vencer, realizará um sonho do pai, Osmundo, rico industrial, dono da salina Amarra Negra e de vasto latifúndio no agreste. Convidado pelo então ministro do Exército, general Dale Coutinho, a ser governador em 1974, Osmundo nunca assumiu. O general teve um ataque cardíaco, o pai de Faria ficou sem o padrinho e quem assumiu foi Tarcísio Maia, pai do senador Agripino Maia (DEM).

Alves, que declarou ter R$ 12,4 milhões em bens, e Faria (R$ 8,4 milhões) são velhos amigos e cogitaram se unir numa mesma chapa, mas o vice não quis ficar no mesmo posto.

Ibope. Na pesquisa Ibope divulgada neste sábado, Robinson Faria (PSD) manteve 54% dos votos válidos, enquanto o peemedebista Henrique Eduardo Alves também manteve 46% registrados no levantamento anterior, de 15 de outubro.

Já a intenção de voto para presidente no Rio Grande do Norte, Dilma Rousseff tem 73% dos votos válidos e Aécio Neves, 27%.

O Ibope ouviu 812 eleitores em 39 municípios do estado de 22 a 24 de outubro. A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de três pontos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte sob registro nº RN-00046/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral sob protocolo no BR-01174/2014.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.