Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Filho de Eduardo Campos tem votação recorde para deputado federal em Pernambuco

João Campos (PSB), 24, que teve mais de 460 mil votos, promete centrar seu mandato nas áreas da educação, geração de emprego, na defesa da política e dos recursos hídricos

Kleber Nunes, O Estado de S.Paulo

08 Outubro 2018 | 22h06

RECIFE – João Campos, 24, filho mais velho do ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos – morto em 2014, foi o candidato a deputado federal mais bem votado da história do Estado. Com 460.387 votos o herdeiro natural do “eduardismo” superou os recordes da avó Ana Arraes, que em 2010 teve 387 mil votos, e do bisavô Miguel Arraes, que em 1990 conquistou 340 mil votos.

A eleição de João marca a conclusão de um ciclo que começou efetivamente em agosto de 2014, quando durante a campanha eleitoral seu pai candidato à Presidência da República morreu em um acidente aéreo em Santos (SP). Depois da tragédia o até então estudante, assumiu o lugar que o PSB queria que fosse ocupado pela mãe, Renata Campos que preferiu permanecer nos bastidores, e começou a participar atos políticos e a proferir discursos sempre repetindo frases conhecidas do pai.

Em 2016, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), deu a João o cargo de chefe de gabinete do governo. Na nova função, o jovem começou a construir alianças e a pavimentar o seu caminho até Brasília acompanhando Câmara em reuniões estratégicas e agendas políticas em todo o Estado.

Com estrutura de candidato a cargo majoritário que custou pouco mais de R$ 1,5 milhão, João estreou na disputa eleitoral com apoio de prefeitos e ex-prefeitos, vereadores, deputados estaduais e federais, e de toda a estrutura do governo pernambucano há 12 anos governado pelo partido da sua família.

“Toda essa confiança só pode ser retribuída com trabalho e muita responsabilidade. Dizer a cada pernambucano que vamos honrar cada voto e trabalhar muito pelo nosso Estado”, disse João em sua primeira entrevista coletiva à imprensa, neste domingo, 7.

Inexperiente, o engenheiro civil de formação responde de maneira genérica quando questionado sobre como pretende atuar na Câmara Federal: “acho que o deputado federal tem que estar pronto para discutir ou debater qualquer pauta nacional”. Entretanto, o jovem parlamentar disse que pretende centrar seu primeiro mandato na educação, geração de emprego, na defesa da política e dos recursos hídricos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.