Filho de Edison Lobão diz que ele não sairá da pasta

Candidato ao governado do Maranhão, Lobão Filho refuta hipótese de que ministro de Minas e Energia poderia ser demitido

Fabio Brandt, O Estado de S. Paulo

11 de setembro de 2014 | 11h54

 São Luís - O senador Edison Lobão Filho (PMDB-MA) afirmou na noite desta quarta-feira, 10, que seu pai, Edison Lobão, não pedirá demissão do cargo de ministro de Minas e Energia, cargo que ocupa por indicação do PMDB. 

"Ele [Edison Lobão] não falou nada a respeito disso", afirmou Lobão Filho após participar de um debate promovido pela Federação das Indústrias do Maranhão entre ele e Flávio Dino (PCdoB), os dois principais candidatos ao governo do Maranhão.

A demissão do ministro passou a ser cogitada após o último fim de semana, quando seu nome foi elencado pela revista "Veja" entre os políticos citados pelo ex-diretor da Petrobrás, Paulo Roberto Costa, que tenta um acordo de delação premiada com as autoridades. 

Costa foi preso em março pela Polícia Federal após a Operação Lava Jato desarticular um esquema internacional de lavagem de dinheiro e comércio ilegal de câmbio. Os processos iniciados por causa da operação incluem investigações sobre desvios em obras públicas e na Petrobrás. 


Estado: Seu pai vai se demitir do Ministério?

Lobão Filho: Isso é absolutamente inverídico. Ele não falou nada a respeito disso. Não há motivo nenhum para que ele assim o faça. Meu pai tem 40 anos de história, não são 40 dias. É uma história imaculada. Portanto não há nada que o faca ter uma posição como essa.


Estado: Por qual motivo seu pai teria sido citado no depoimento da delação premiada de Paulo Roberto Costa?

Lobão Filho: Não tivemos acesso ao depoimento. Portanto não sabemos se o que esta publicado na revista  é atinente à verdade. Basta dizer que no mesmo dia, havia uma nota publicada na revista falando que ele teria pego R$ 30 milhões e que todos nos sabemos que não existe doador individual de R$30 milhões e que ninguém some com R$ 30 milhões. Hoje, a revista Veja faz um videozinho de hostilidade à família Sarney com relação a eleição aqui no maranhão, fazendo prognostico sobre vitória independentemente de pesquisa. Isso mostra a linha editorial de uma revista.


Estado: Houve alguma discussão sobre doação de campanha ou de propina?

Lobão Filho: Nunca houve isso. É inteiramente falacioso, nunca houve esse episódio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.