'Fazem devassas na vida de pessoas públicas', diz Cassol

O senador Ivo Cassol não respondeu aos pedidos de entrevista. Sua assessoria informou que seu objetivo é a responsabilização do promotor caso a acusação não resulte em condenação. Cassol, anotou a assessoria, já foi inocentado em 17 ações ajuizadas pelo Ministério Público. "Quem é que paga a conta do advogado e o que aconteceu com quem o processou?", indaga um auxiliar do senador.

O Estado de S.Paulo

12 Abril 2013 | 02h12

O mesmo assessor afirmou que "não se trata de uma questão pessoal". Na justificativa, Cassol informa que seu gabinete realizou pesquisa e constatou "altíssimo índice de rejeição de ações" contra políticos. Segundo sua estatística, foram propostas 1.827 ações contra ex-prefeitos e julgados 990 processos que levaram a 158 condenações e 832 absolvições. "Os resultados impressionam", sustenta Cassol. "Foi possível constatar a prática de abusos por parte do MP, atuação arbitrária, ações penais sem fundamento, perseguição política.

O quadro mostra que em 84,06% dos casos os agentes políticos são absolvidos. Membros do MP buscam satisfazer interesses distintos daqueles relativos ao desempenho estrito de suas funções. Fazem verdadeiras devassas na vida de pessoas públicas." Ele defende a criação de "medidas mais práticas para que esses maus operadores públicos do direito sejam eles mesmos colocados sob os holofotes de seus superiores e da sociedade." / F.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.