Thales Rodrigues
Thales Rodrigues

Favorito na disputa da segunda principal cidade de Goiás não resistiu à onda antipetista

Mais votado em primeiro turno foi derrotado por uma diferença de apenas quatro mil votos

Julia Lindner/Brasília, O Estado de S.Paulo

31 de outubro de 2016 | 05h00
Atualizado 31 de outubro de 2016 | 05h00

Uma das derrotas mais improváveis do PT nestas eleições ocorreu em Anápolis, segunda principal cidade de Goiás, de 260 mil eleitores, controlada pelo partido desde 2009. O atual prefeito, o petista João Gomes, é um dos políticos mais populares do Estado. Ele foi o mais votado no primeiro turno, mas não resistiu à onda antipetista e terminou derrotado ontem por um político sem influência. O empresário Roberto do Órion, do PTB, se elegeu com uma diferença de apenas quatro mil votos.

Durante a campanha, Órion recorreu à estratégia de nacionalizar o discurso, com críticas ao PT. Gomes, que entrou como favorito disparado na disputa, sentiu o baque nas pesquisas logo no início da campanha do segundo turno e começou a esconder os símbolos do partido. Em entrevista ao Estado, avaliou que o partido “atrapalhou muito” sua campanha. Na propaganda eleitoral, Gomes evitou utilizar o nome e até cores que lembrassem a legenda. Também tentou se desvincular da figura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Órion teve 88.730 votos, 51,23% dos votos válidos, contra 84.475 do atual prefeito da cidade, que contabilizou 48,77% dos votos. “Não fossem os problemas com o PT eu ganharia com folga”, afirmou Gomes algumas horas antes do resultado oficial.

Mais conteúdo sobre:
PTGoiásPTB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.