Falta de Pimentel na OMC é questionada

Líder tucano quer informações do ministro sobre por que viajou até Genebra e foi embora sem aparecer em reunião internacional

EDUARDO BRESCIANI , ESTADAO.COM.BR / BRASÍLIA , FERNANDO GALLO / SÃO PAULO, O Estado de S.Paulo

17 de dezembro de 2011 | 03h03

O líder do PSDB na Câmara, Duarte Nogueira (SP), disse ontem que vai protocolar na próxima semana requerimento de informação pedindo detalhes da viagem do ministro Fernando Pimentel (Desenvolvimento) a Genebra, na Suíça. Reportagem do Estado mostrou que Pimentel faltou a reuniões da Conferência Ministerial da Organização Mundial do Comércio (OMC).

Os requerimentos serão direcionados a Pimentel e ao ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota. Serão solicitadas cópias da agenda dos dois no evento da OMC e relatório das atividades realizadas, além de informações sobre a composição da comitiva e os custos da viagem.

O ministro tentou evitar a imprensa em Genebra para não responder a questionamentos sobre sua atividade como consultor nos anos de 2009 e 2010. "É preciso ter informações a respeito para que seja afastada a hipótese de o ministro ter faltado a compromissos de interesse do país para não ser abordado por jornalistas a respeito das denúncias", disse Duarte Nogueira.

O presidente do PPS, Roberto Freire (SP), também criticou Pimentel. Disse que o ministro não tem mais condição de permanecer no cargo. Para Freire, a fuga de Pimentel para evitar o contato com a imprensa só agrava a situação.

"Quando um ministro começa a se esconder da imprensa é porque não tem mais condições para permanecer no cargo. Ele está se escondendo por quê? Por vergonha ou por não ter como se explicar. Me parece que esse silêncio é para encobrir malfeitorias", disparou o presidente do PPS.

Drible. Assim como fizera na Suíça, ontem Pimentel também driblou a imprensa em um evento na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) na capital paulista. Ele participou de um almoço com representantes da Comissão Europeia no qual assinou um memorando de cooperação entre indústrias brasileiras e do bloco europeu.

Por meio de um comunidade, na quarta-feira, a assessoria da Comissão Europeia havia convidado a imprensa para participar do evento, mas depois voltou atrás e disse tratar-se de um almoço fechado.

Pimentel chegou e saiu do prédio da Fiesp em um carro preto de vidros escuros. Quando estava prestes a deixar o almoço, o veículo, que ficara estacionado no andar onde estavam os jornalistas, desceu até o segundo subsolo, onde Pimentel não poderia nem ser filmado ou fotografado. Ele saiu sem dizer qualquer palavra.

O presidente da Fiesp, Paulo Skaf, afirmou que não participou do almoço, e que somente recebeu rapidamente o ministro em sua chegada. "Ele estava bem", disse apenas.

No site do ministério, a assessoria destacou uma fala de Pimentel no evento: "Vamos vencer a crise (econômica) com trabalho e não com recessão".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.