Falcão nega ter sido escalado para 'enquadrar' Marta

Segundo o presidente do PT, não há razão para que a senadora deixe de participar da campanha

Daiene Cardoso, da Agência Estado

06 Junho 2012 | 16h54

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, negou nesta segunda que tenha sido escalado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para enquadrar a senadora Marta Suplicy (PT-SP) por sua resistência em participar da pré-campanha de Fernando Haddad à Prefeitura de São Paulo. 

"Não há necessidade de ficar escalando pessoas para ficar falando com ela", respondeu Falcão, dizendo que todos no partido tem contato direto com a senadora. Segundo o dirigente, Marta teve um compromisso de última hora e não há razão para que ela deixe de participar da campanha petista na capital. "Todas as campanhas do PT tiveram a presença da Marta", ressaltou.

O dirigente petista classificou de especulações as informações sobre a possível saída de Marta da sigla. "Não vejo motivo para ela mudar de partido, Ela está no exercício do mandato e não tem divergência política", justificou. Falcão lembrou que o partido tem "o maior apreço" pela senadora e que ela faz parte da história da sigla. "Não creio que ela tenha esse tipo de cogitação".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.