Falcão diz que é um dos mais atuantes da Casa

A assessoria de imprensa do deputado Rui Falcão (PT) afirmou, em nota, que o petista "tem sido, na verdade, um dos mais atuantes da Casa". O texto destaca que, "entre 15 de março de 2011 e 15 de março de 2013, ele foi primeiro secretário da Mesa da Assembleia, o cargo mais importante depois da presidência, e participou de praticamente todas as reuniões semanais de trabalho da Mesa". Sustenta também que "o deputado tem diversos projetos aprovados".

O Estado de S.Paulo

30 de setembro de 2013 | 02h07

A nota afirma que o regimento interno da Assembleia permite o abono de até quatro faltas mensais e diz que, "quando o deputado esteve ausente além desses quatro dias, houve desconto de seu salário". "Quando as faltas foram abonadas, isso aconteceu porque efetivamente o deputado estava no exercício de sua atividade parlamentar." O texto não explica como ele exercia atividade parlamentar fora do Estado em eventos do partido.

A assessoria justifica as viagens do presidente do PT afirmando que "elas podem ser explicadas porque é comum que os deputados trabalhem um período do dia, assinem a presença e depois viajem ou participem de atividades do mandato fora da Assembleia". "É comum que cheguem à Assembleia para trabalhar no final do dia, depois de viajar ou exercer atividades políticas externas." Enfatiza que "o exercício do mandato de deputado não acontece apenas dentro da Assembleia". "O fato de Rui Falcão ser presidente do Partido dos Trabalhadores honra o voto de todos os seus eleitores e de todos os seus colegas da bancada do PT."

A assessoria diz que teve poucas horas para elaborar a resposta ao jornal e ficou impedida de avaliar se os "dados apresentados pela reportagem são precisos".

Dados são da própria Alesp

O levantamento sobre a frequência dos deputados nas sessões foi feito com base em dados fornecidos pela própria Assembleia Legislativa, após pedido de informação feito pela reportagem com base na Lei de Acesso à Informação. O cálculo leva em conta as 436 sessões ordinárias e as 164 extraordinárias ocorridas na atual legislatura até junho de 2013, em um total de 584 sessões - os dados fornecidos pela Alesp vão até o fim do primeiro semestre. Foram calculadas como ausências tanto as faltas sem justificativas quanto as faltas justificadas, que podem, de acordo com o regimento interno da Assembleia, ser até quatro por mês, desde que a serviço do mandato - o expediente de abonar faltas é amplamente utilizado pela maioria dos deputados. No levantamento foram descartadas as faltas por licença médica e as ausências por missão diplomática.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.