Exército não é responsável por mortes de jovens, diz Crivella

'Não podemos culpar Forças Armadas por um ato de um jovem', diz candidato sobre mortes na Providência

Adriana Chiarini, de O Estado de S.Paulo

21 de agosto de 2008 | 12h56

O Exército não deve ser responsabilizado pela morte dos três jovens levados do Morro da Providência e entregues por militares para traficantes do Morro da Mineira, de acordo com o candidato a prefeito do Rio senador Marcelo Crivella (PRB).   Veja também: Especial: Perfil de Marcelo Crivella  Brasil deveria se orgulhar de ter Duda Mendonça, diz Crivella estadao.com.br estréia projeto Vereador Digital  Crivella defende parceria com setor privado e governo estadual Crivella deve entrar na briga por royalties do petróleo   Na primeira edição das sabatinas do Grupo Estado com candidatos às prefeituras do Rio e São Paulo, Crivella atribuiu toda a responsabilidade à índole do tenente Vinícius Ghidetti de Moraes, que liderava o grupo. "Não podemos culpar as Forças Armadas por um ato de um jovem", afirmou. "É uma decisão dele, da índole dele", disse. Ele lembrou que o tenente recebeu ordem superior para soltar os jovens. "O capitão disse a ele: 'solte os meninos'. A ordem militar foi perfeita. A decisão do Exército foi perfeita", disse.   O senador contou que voltou ao Morro da Providência para dar os pêsames às famílias dos jovens mortos. "Não podemos abdicar de continuar as obras", disse. Ele afirmou também que quando o governo determinou que o Exército fosse para o Morro da Providência era com boas intenções. Para Crivella, culpar o Exército pelas mortes dos três jovens seria como culpar toda a imprensa pelo que considera erros de parte da mídia.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2008Marcelo CrivellaPRB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.