Luciano Bernado Jr/Câmara dos deputados
Luciano Bernado Jr/Câmara dos deputados

Executiva do Podemos autoriza discussão sobre federação com o Cidadania

Em nota, o partido anunciou que o objetivo é 'unir a terceira via e fortalecer a construção de um projeto sólido e plural de Brasil'

Daniel Reis, O Estado de S.Paulo

31 de janeiro de 2022 | 23h30

A Executiva Nacional do Podemos autorizou a discussão com o Cidadania para a formação de uma federação entre as duas legendas. Em nota, o partido anunciou que o objetivo é “unir a terceira via e fortalecer a construção de um projeto sólido e plural de Brasil”.

“Esta é uma etapa importante para a consolidação de uma nova frente unida pelo futuro do Brasil, que poderá congregar uma única e forte candidatura à presidência, com convergência de ideias e de princípios, transformando em realidade a tão desejada expectativa de um Brasil justo para todos”, diz a nota da legenda presidida por Renata Abreu. Atualmente, os dois partidos mantêm pré-candidatos à presidência. Sérgio Moro, pelo Podemos, e Alessandro Vieira, pelo Cidadania. Caso aprovada a federação, Vieira abdicaria da candidatura ao Planalto.

Como mostrou o Estadão, a Executiva do Cidadania se reunirá nesta terça-feira, 01, para convocar o diretório nacional – que possui 112 integrantes – a decidir sobre o tema das federações. Além de Podemos, PSDB, PDT e MDB também dialogam com o partido presidido por Roberto Freire. Já o Podemos possui conversas com o União Brasil.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), chegou a publicar uma mensagem cumprimentando o presidente do PSDB, Bruno Araújo, e Freire “pela ótima decisão de criar uma federação partidária”. A manifestação, contudo, foi prontamente contestada por Vieira, que incluiu o Podemos como opção de acordo. A federação com o PSDB sofre resistência de Vieira e dos diretórios estaduais da legenda, mas tem o apoio de Freire.

Recentemente, Vieira chamou atenção por sair em defesa de Moro e pedir que a Procuradoria-Geral da República investigue o ministro do Tribunal de Contas da União Bruno Dantas por suposto abuso de autoridade. Dantas é relator do processo no TCU que apura o contrato de Moro com a consultoria Alvarez & Marsal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.