Excesso de nomes atrasa escolha de vices em SP

A pulverização de postulantes a prefeito de São Paulo e o impasse na costura de alianças atrasaram a escolha dos pré-candidatos a vice. Por ora, só há duas chapas completas: a de Soninha Francine (PPS), com Lucas Albano (PMN), e a do deputado Paulinho da Força, com o médico do Corinthians, Joaquim Grava - ambos do PDT. Partidos que colocaram o posto à disposição de outras siglas anunciarão seus nomes às vésperas das convenções.

FELIPE FRAZÃO, O Estado de S.Paulo

13 Junho 2012 | 03h03

Em meados de junho de 2008, só faltava definir os vices de Marta Suplicy (PT) e Paulo Maluf (PP). Este ano, continuam indefinidos os pré-candidatos que ofereciam a vaga em troca de tempo de propaganda na TV - como Celso Russomanno (PRB) e Gabriel Chalita (PMDB), ambos de siglas que em 2008 não tinham candidato próprio. Os dois buscam uma solução entre siglas nanicas já aliadas.

Chalita admitiu ontem apelar à chapa pura, como o PTB, que deve lançar Luiz Flávio D'Urso e Marlene Campos Machado.

Fernando Haddad (PT) promete anunciar o vice até a semana que vem. Caso o apoie, o PC do B já indicou a deputada Leci Brandão. Mas a prioridade é do PSB - cujos cotados são a ex-prefeita Luiza Erundina e o empresário Eduardo Storópoli.

José Serra (PSDB) tem leque com seis opções. Mas diz que antecipar a escolha "dá confusão". A saída dele da prefeitura no meio do mandato, em 2006, põe seu próximo vice sob holofote. Serristas dão como certa a indicação de Alexandre Schneider (PSD). E apostam no anúncio tardio. / COLABOROU RICARDO CHAPOLA

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.