Ex-presidente do Banco Central dá status à caravana

O ex-prefeito Gilberto Kassab é cauteloso ao comentar sobre a eventual candidatura de Henrique Meirelles, ex-presidente do Banco Central, ao Senado em sua chapa. Diz que o convite foi feito, mas que a resposta definitiva ainda não foi dada, já que o aliado tem diversos compromissos profissionais no exterior.

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

23 de fevereiro de 2014 | 02h10

Ao lado dele, um assessor faz um comentário brincalhão sobre Meirelles: "Ele deve gostar muito de uva". A frase é uma referência à visita feita pelo ex-presidente do BC dias atrás a Jundiaí para participar da Festa da Uva. Por mais que ainda não tenha batido "100%" o martelo, Meirelles já age como candidato e tem participado de diversas viagens para o interior ao lado de Kassab.

No sábado passado, por exemplo, ele esteve em um encontro político promovido pelo PSD em Marília. Em encontros desse tipo, ele se nega a falar sobre política partidária e aceita, quando muito, tecer comentários sobre economia, mas sempre com um toque de candidato. "O País precisa investir em infraestrutura, melhorar as exportações e preparar seus cidadãos para enfrentar o futuro", disse ao Estado durante uma dessas reuniões, em Bauru.

O ex-presidente do Banco Central transferiu seu domicílio eleitoral para São Paulo em 2011, quando deixou o PMDB e filiou-se ao partido de Kassab. Em 2002, ano em que Lula se elegeu presidente, ele foi candidato a deputado federal de Goiás pelo PSDB. Eleito, abriu mão do mandato para assumir o BC de Lula. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.