Imagem João Domingos
Colunista
João Domingos
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Ex-ministra reage e ataca adversários

Em Curitiba, Marina afirma que 'PSDB comprou votos no Congresso' e Dilma se transformou na 'exterminadora do presente'

João Domingos , ENVIADO ESPECIAL

23 de setembro de 2014 | 22h08

CURITIBA - Em queda nas pesquisas de intenção de votos e sob forte ofensiva dos adversários, a candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, fez nesta terça-feira, 23, em Curitiba, o mais duro ataque aos seus dois principais adversários, a presidente Dilma Rousseff (PT) e o tucano Aécio Neves. Marina afirmou que, pela reeleição, “o PSDB comprou votos no Congresso” e que Dilma se transformou na “exterminadora do presente”. 

“É por isso que eu sou contra a reeleição, porque o governante não faz o necessário para governar: Justiça, ética e competência. Faz o possível para se reeleger”, disse Marina. “Para ele se reeleger deve comprar voto no Congresso para aprovar a reeleição, como fez o PSDB. Para se reeleger deve colocar em risco a nossa economia, as conquistas sociais, a exploração do pré-sal com a corrupção que agora tem a Petrobrás. É isso que se faz”, afirmou a candidata. Em seguida, disse que era por isso que teria “só um mandato”. 

A ex-ministra disse ainda que, se eleita, vai ter humildade para pedir ajuda a todos os partidos em atividade e acabar com a velha política, o que seus adversários não engolem. “Há gente boa em todo lugar”, afirmou a candidata. “Tenho a humildade de pedir ajuda a eles, porque sei que estão do lado da sociedade brasileira, que vai me eleger. A eles e à sociedade darei satisfação. Não darei satisfação a José Sarney, Renan Calheiros, Fernando Collor e Paulo Maluf”, afirmou Marina, referindo-se a importantes políticos que hoje são aliados do PT. 

Para Marina, de tanto falar mentiras contra ela, Dilma Rousseff perderá o respeito da sociedade brasileira. “Dizem que uma mentira repetida mil vezes vira verdade. Não é fato. Uma mentira repetida mil vezes vai continuar a ser uma mentira, porque os brasileiros sabem que é mentira. Que respeito terá essa figura diante da sociedade brasileira?”

Ao ato, acompanhado por cerca de 1,5 mil pessoas, num auditório na capital paranaense, compareceram políticos de partidos que nem sequer estão na coligação de Marina no plano federal, como PV, PSDC e PTC – todos eles com foto da candidata nos seus santinhos de propaganda.

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesMarina Silva

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.