Ex-governador pede dados sobre Prefeitura e alianças

O ex-governador José Serra fez pelo menos dois movimentos concretos na última semana para sinalizar aos aliados a possibilidade de rever a posição e disputar a Prefeitura de São Paulo. Primeiro, pediu ao ex-secretário de Fazenda e hoje titular da Secretaria Municipal de Finanças, Mauro Ricardo, informações detalhadas de todas as contas da Prefeitura. Depois, procurou outro ex-colaborador - o chefe da Casa Civil do governo estadual, Sidney Beraldo - para saber como está a negociação das alianças para a disputa municipal.

CHRISTIANE SAMARCO / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

15 de fevereiro de 2012 | 03h02

Os sinais foram a senha para desencadear a "operação segura Kassab" no PSDB. Serra está convencido de que uma aliança do prefeito da capital e presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, com o PT do ex-presidente Lula é "uma viagem sem volta", que pode terminar com o ex-aliado no ministério da presidente Dilma Rousseff.

Serra estaria considerando participar da disputa movido pela certeza de que a Prefeitura de São Paulo é estratégica para as oposições e que uma vitória do PT na capital paulista seria prenúncio de um massacre da oposição em nível nacional.

Mas isto não significa que ele estaria na corrida municipal em qualquer cenário. Ao contrário. O ex-governador quer ser convocado pelo PSDB para a missão partidária e exige que a cúpula tucana crie condições para que ele assuma a candidatura.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.