Ex-diretor do BB vai dividir cela na prisão

Pizzolato poderá ficar na cadeia durante todo o processo de extradição, que pode demorar mais de um ano

O Estado de S.Paulo

08 de fevereiro de 2014 | 02h08

BOLONHA - Henrique Pizzolato será tratado como "preso comum" na cadeia de Módena, cidade da região de Bolonha, afirmou seu advogado, Lorenzo Bergami. O petista poderá ficar na cadeia durante todo o processo de extradição, que pode demorar mais de um ano. A decisão da juíza de Bolonha, Danila Indirle, é de que Pizzolato aguarde por uma definição sobre sua situação na prisão.

A cadeia de Módena é conhecida como a "prisão de ouro", porque a obra é suspeita de ter sido superfaturada - o prédio foi construído na década de 1980. No local há 600 prisioneiros.

Por ter nacionalidade italiana, ele deve permanecer em uma ala apenas com italianos. Hoje, 70% da população carcerária de Módena é composta por estrangeiros. Pizzolato terá de dividir sua cela com outras três pessoas. Quanto às visitas, ele poderá receber entre seis e oito por mês. Mas qualquer uso de celulares dentro da cadeia está totalmente proibido. /J. D.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.